Projetos de Pesquisa - Linha 3

LINHA 3 - Adaptações bioquímicas e fisiológicas em modelos de intervenção nutricional

Avaliação das Vias de Oxidação Lipídica, Perfil Metabólico e Atividade Física em Ratos Resistentes à Obesidade
Descrição: Caracterização da condição de Resistência à Obesidade e investigação das vias de oxidação lipídicas, perfil metabólico e níveis de atividade física nesse modelo experimental.
Professor responsável: André Soares Leopoldo.

Efeito do Consumo de Diferentes Dietas Hipercalóricas sobre a Contratilidade Miocárdica, Inflamação e Estresse Oxidativo
Descrição: A obesidade é considerada epidemia mundial e um grave problema de saúde pública do século XXI. O consumo de dietas hipercalóricas pode ser o principal contribuinte para a atual epidemia de sobrepeso, obesidade e suas comorbidades em todo o mundo. O excesso de tecido adiposo afeta o metabolismo mitocondrial, contribuindo para o desenvolvimento de estresse oxidativo. Outro aspecto importante é a relação entre obesidade e doenças metabólicas com estado crônico de inflamação, bem como influencia diretamente na contratilidade e estresso oxidativo miocárdico. Objetivo: Investigar a influência de três tipos de dietas hipercalóricas sobre parâmetros metabólicos, cardíacos, inflamatórios e de estresse oxidativo em modelo experimental.
Professor responsável: André Soares Leopoldo.

Efeitos cardiovasculares da sobrecarga de cobre em ratos diabéticos
O DM está associado com diversos eventos cardiovasculares, e um deles é o aumento da rigidez arterial, quando comparado com artérias de indivíduos saudáveis. Além disso, tem sido notado o aumento da concentração plasmática de cobre em pacientes diabéticos. Dessa forma, como o mecanismo fisiopatológico de complicações cardiovasculares associadas a sobrecarga de cobre em indivíduos diabéticos ainda não é descrito. O presente estudo busca investigar os efeitos cardiovasculares em ratos diabéticos com sobrecarga de cobre. São avaliados parâmetros hemodinâmicos, contratilidade miocárdica, reatividade vascular e avaliação de parâmetros bioquímicos. 
Professor responsável: Karolini Zuqui Nunes.

Efeitos da ingestão aguda do antioxidante N-acetil-cisteína (NAC) no desempenho esportivo
Descrição: Os suplementos nutricionais vêm sendo utilizados em larga escala nos últimos anos tanto para melhoria do desempenho esportivo quanto para estética e saúde da população. A atividade contrátil muscular, especialmente durante atividades exaustivas de alta intensidade, leva, ao aumento da produção de espécies reativas de oxigênio (EROs). Observações anteriores indicaram a possível relação entre a produção de EROs e a fadiga durante contrações musculares intensas, ao demonstrar que antioxidantes exógenos promoveram atenuação da fadiga e aumento da força muscular. Estudos em humanos demonstraram que a ingestão de NAC por 5 a 10 dias resultou em melhoria do desempenho esportivo e função contrátil. Em contrapartida, estudo com modelo animal relatou efeitos similares após a administração de uma única dose. Assim, o objetivo do presente projeto é avaliar os efeitos da ingestão aguda de NAC (70 mg.kg-1 de peso corporal) sobre o desempenho atlético em diferentes modalidades esportivas.
Professor responsável: Lucas Guimarães Ferreira

Efeitos da ingestão de cafeína sobre o desempenho anaeróbico
Descrição: São bem documentados na literatura científica os efeitos benéficos da ingestão de cafeína no desempenho atlético, especialmente em exercício prolongado, de caráter predominantemente aeróbico. Além disso, há evidências crescentes de sua aplicação em exercícios de curta duração e alta intensidade. Muitos mecanismos são propostos para os efeitos ergogênicos da cafeína sobre o desempenho em atividades de alta intensidade e curta duração, como atenuação da fadiga e efeitos sobre o sistema nervoso central, reduzindo a percepção subjetiva do esforço e a dor. Efeitos moleculares descritos até então incluem a inibição da enzima fosfodiesterase e consequente aumento dos níveis de adenosina mono-fosfato cíclica (AMPc), ação antagonista sobre os receptores de adenosina, estímulo sobre a liberação sarcoplasmática de cálcio e aumento da atividade da Na+-K+ ATPase. Uma vez que os resultados disponíveis na literatura sobre o impacto da ingestão de cafeína no desempenho em atividades de alta intensidade e curta duração são ainda escassos e muitas vezes conflitantes, pesquisas adicionais se fazem necessárias para elucidar a questão. Desta forma, nosso objetivo é investigar os efeitos da ingestão prévia de cafeína sobre o desempenho em atividades com predomínio do metabolismo anaeróbico. 
Professor responsável: Lucas Guimarães Ferreira.

Efeitos da inibição da síntese de óxido nítrico e da suplementação de l-arginina na hipertrofia muscular esquelético
Descrição: Nos últimos anos tem aumentado o número de supostos suplementos a base de óxido nítrico (NO). O principal argumento, embora sem fundamentação científica satisfatória, é que o NO aumentaria a hipertrofia muscular. Apesar disso, existem na literatura científica algumas evidências de que o NO participa da modulação hipertrófica do músculo esquelético. Mas os estudos ainda são raros, os delineamentos são de curta duração, os resultados ainda são antagônicos e a magnitude do efeito ainda está distante de ser bem compreendida. Além disso, os delineamentos não permitem interpretações referentes ao aumento da disponibilidade deNO, mas apenas da restrição de NO. A compreensão dos mecanismos envolvidos na hipertrofia muscularé extremante importante, em particular pelo impacto que poderá causar na vida de pessoas acometidas por doenças ou lesões miodegenerativas. Diante disso, o principal objetivo do estudo será investigar se a inibição da síntese de NO pelo fármaco L-NAME, e o aumento da síntese de NO via suplementação com L-arginina serão capazes de modular a hipertrofia muscular esquelética induzida pela cirurgia de ablação sinergista em ratos Wistar.
Professor responsável: Lucas Guimarães Ferreira.

Efeitos do ácido palmitoleico n7 na modulação do metabolismo, estresse oxidativo e inflamação do tecido vascular de ratos com obesidade e com hipertensão arterial
Descrição: As complicações associadas à obesidade estão diretamente relacionados ao risco de desenvolver ou agravar distúrbios metabólicos e cardiovasculares, devido estado inflamatório e de estresse oxidativo provocado pelo excesso de adiposidade. Certas moléculas sinalizadoras, tais como os ácidos graxos, são conhecidamente capazes de modular o funcionamento células e dos tecidos por mecanismos distintos, que favorecem ou previnem o desenvolvimento das doenças cardiovasculares, diabetes tipo II e obesidade. O ácido palmitoleico n7 (16:1n7) é um ácido graxo monoinsaturado, ômega 7, de dezesseis carbonos, sintetizado endogenamente em células como adipócitos e hepatócitos como resultado da dessaturação do ácido palmítico (16:0). Além da síntese endógena, o 16:1n7 também pode ser encontrado no óleo de semente de macadâmia (cerca de 30% do total de lipídeos) e na polpa de espinheiro-marítimo (Hippophae rhamnoides - cerca de 30% do total de lipídeos). Foi descrito, anteriormente, que este ácido graxo tem efeitos benéficos sobre os processos metabólicos e inflamatórios do tecido muscular esquelético e hepático em animais, bem como melhora o perfil lipidico do sangue de humanos. De modo muito relevante, nosso grupo de pesquisa publicou uma série de estudos nos quais demonstramos que o 16:1n7 atua como uma importante molécula sinalizadora e moduladora do tecido adiposo branco. Através de experimentos in vivo e in vitro utilizando o tecido adiposo e os adipócitos isolados de camundongos obesos e a linhagem celular de adipócitos 3T3-L1, mostramos que o tratamento com 16:1n7 exerce, nesse tecido, efeitos anti-hipertróficos, aumentam a captação de glicose e a sensibilidade à insulina, atenuam a super expressão de citocinas pró-inflamatórias, modula a adipogênese e influencia o metabolismo das células do estroma vascular circundantes. Além disso, provamos que parte desses efeitos promovidos pelo 16:1n7 nos adipócitos, ocorrem através de um mecanismo de sinalização dependente da sua ligação aos receptores nucleares PPARa e PPARy. Apesar de todos os efeitos desse ácido graxo no fígado, músculo esquelético e tecido adiposo, ainda não foi demonstrado se o 16:1n7 também modula o funcionamento do tecido vascular, especialmente diante de organismos acometidos por doenças tais como a obesidade e hipertensão arterial. No presente estudo, portanto, nós testamos a hipótese de que o 16:1n7 é capaz de modular o metabolismo, a inflamação e o estresse oxidativo no tecido vascular de ratos com obesidade e com hipertensão arterial.
Professor responsável: Andressa Bolsoni Lopes.

Influência de Diferentes Tipos de Dietas Hipercalóricas sobre o Estresse Oxidativo e Perfil Inflamatório
Descrição: Estudos utilizando rações hipercalóricas demonstraram resultados significativos quanto a alterações na composição corporal, tais como obesidade e aumento de tecido adiposo, além de alterações no perfil bioquímico, como, por exemplo, aumento nos níveis de triglicerídeos e glicemia, e resistência à insulina. Além disso, a combinação de altas quantidades de gordura saturada, glicose e sal pode promover distúrbios neuro-hormonais, inflamação e estresse oxidativo. Diante do exposto, a proposta do estudo visa analisar o efeito de três dietas hipercalóricas (uma hiperglicídica, uma hiperlipídica e uma hiperlipídica com alto teor de açúcar) sobre o estresse oxidativo e perfil inflamatório de ratos obesos. A hipótese dessa investigação é que as dietas hipercalóricas promoverão estresse oxidativo e exacerbarão o processo inflamatório, sendo essa condição mais evidente na dieta hiperlipídica com alto teor de açúcar.
Professor responsável: André Soares Leopoldo.

Investigação da Associação do Déficit Funcional de Movimento com Dores, Lesões, Força Neuromuscular, Capacidade Funcional, Mobilidade Mio-articular e Dados Antropométricos: Estudo Descritivo e Intervencional com Amostra Randomizada e Avaliações Físicas
Descrição: Investigação da Associação do Deficit Funcional de Movimento com Dores, Lesões, Força Neuromuscular, Capacidade Funcional, Mobilidade Mio-articular e Dados Antropométricos: Estudo Descritivo e Intervencional com Amostra Randomizada e Avaliações Físicas.
Professor participante: André Soares Leopoldo.

Investigação da Obesidade associada ao Diabetes sobre Parâmetros Metabólicos: Estratégias de Tratamento
Descrição: Orientação de Mestrado em Nutrição e Saúde - PPGNS/UFES Orientação de Iniciação Científica - Nutrição - UFES.
Professor responsável: Ana Paula Lima Leopoldo.

Obesidade e Treinamento Resistido sobre Perfil Metabólico e Cardiovascular em Modelo de Dieta Hiperlipídica
Descrição: Orientação de Mestrado em Nutrição e Saúde - PPGNS/UFES (2) Co-orientação de Mestrado em Educação Física - PPGEF/UFES.
Professor responsável: Ana Paula Lima Leopoldo.

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910