Defesa de dissertação - Vinicius Valois Pereira Martins

Logo do PPGNS

Título do trabalho:
Influência da dieta hiperlipídica saturada sobre a morfologia cardíaca em animais  propensos e resistentes à obesidade

Resumo:

A prevalência da obesidade tem crescido rapidamente e representa um dos principais desafios à saúde pública. O excesso de massa corporal contribui para o estabelecimento de comorbidades como diabetes, hipertensão arterial e dislipidemias. Essas morbidades associadas à obesidade, induzem a hipertrofia cardíaca e acúmulo de colágeno intersticial, sendo prejudicial a fisiologia cardíaca. Contudo, alguns animais e humanos, mesmo consumindo dietas hipercalóricas e hiperlipídicas, apresentam capacidade de resistir ao fenômeno de hiperfagia e ganho de gordura corporal, condição esta que denominamos de Resistência à Obesidade. Poucos estudos investigaram os efeitos morfológicos cardíacos de dietas hiperlipídicas saturadas às custas de banha de porco, frente à condição de Resistência à Obesidade. Assim, a proposta do estudo foi investigar a influência da dieta hiperlipídica saturada sobre a morfologia cardíaca em animais propensos e resistentes à obesidade. A hipótese do nosso estudo é que os animais Resistentes à Obesidade (ROb) apresentem cardioproteção ao remodelamento cardíaco do tipo patológico devido à maior sensibilidade à insulina e leptina. Ratos Wistar (n =71), com 30 dias de idade, foram randomizados inicialmente em dois grupos: a) DP: alimentados com dieta padrão (n = 35) e b) DHS: alimentados com dieta hiperlipídica saturada (n = 36). O protocolo experimental consistiu em 2 dois momentos: indução (4 semanas) e manutenção da obesidade (10 semanas), totalizando 14 semanas consecutivas. Por meio do critério do tercil, utilizando-se a massa corporal (após o início da obesidade), os animais foram redistribuídos em 3 grupos: Controle (C), Obeso (Ob) e ROb. As variáveis de consumo alimentar avaliadas foram: ingestão alimentar, consumo calórico e eficiência alimentar. A composição corporal foi mensurada por meio da massa e gordura corporal, além do índice de adiposidade. As alterações metabólicas foram investigadas pelo teste de tolerância à glicose, dosagens dos níveis séricos de insulina, leptina e o índice de resistência à insulina (HOMA-IR).  A massa total do coração, ventrículos direito e esquerdo, átrio e suas respectivas relações com o comprimento da tíbia, bem como a área seccional transversa (AST) e colágeno miocárdico foram determinadas para identificar a ausência ou presença de hipertrofia cardíaca. O dano fisiopatológico foi mensurado a partir da quantificação das enzimas creatina kinases (CK) e sua subunidade MB, além da lactato desidrogenase (LDH). Os resultados foram avaliados estatisticamente por meio da ANOVA (um e dois fatores) e complementada com teste de comparações múltiplas de Tukey, sendo o nível de significância considerado de 5%. O consumo calórico, a eficiência alimentar, as massas corporais finais, gorduras visceral, retroperitoneal e epididimal, bem como o índice de adiposidade foram elevados nos grupos Ob e Rob em relação ao C; no entanto, o grupo Rob apresentou diferença estatística em relação ao Ob para a ingestão alimentar e consumo calórico (ROb < Ob), bem como para os parâmetros de adiposidade corporal (Rob < Ob). Esses achados demonstram que os animais ROb apresentaram característica intermediária entre os grupos Ob e C.A área sob a curva glicêmica, HOMA-IR, insulina e leptina sérica, colesterol total e HOMA-IR e HDL foram maiores nos grupos expostos a DHS, independente da condição de resistência ou propensão à obesidade. Entretanto, não houve diferença significativa em relação ao triglicerídeos dos grupos Ob e ROb em relação ao grupo C. Os grupos Ob e ROb apresentaram valores estatisticamente maiores da massa do coração total, VE, VD e suas respectivas relações com o comprimento da tíbia, bem como da AST e colágeno miocárdico em relação ao grupo C, caracterizando o processo de hipertrofia cardíaca em ambos os grupos submetidos à DHS. O biomarcador de dano cardíaco CK-MB foi maior significativamente nos dois grupos experimentais submetidos a DHS.  Em conclusão, os resultados apontam que tanto animais propensos quanto resistentes à obesidade apresentam hipertrofia cardíaca combinada ao acúmulo de colágeno intersticial, além de alterações na sensibilidade à glicose e elevação dos biomarcadores de dano cardíaco.

Discente:
Vinicius Valois Pereira Martins

Orientador:
André Soares Leopoldo
Ana Paula Lima Leopoldo

Data da defesa:
28/04/2022.

Horário:
14h30.

Local:
Webconferência - https://conferenciaweb.rnp.br/webconf/andre-soares-leopoldo

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910